Seguir este Blog por e-mail

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Sorriso da Alma

E a vida segue, assim
Passando por mim, sem que a pegue
Apegando-me ao que é de mim
Apenas ao "ser",  entregue
Tudo evolui em pensamentos
Mundo que muda, reflexão...
Sigo silente o curso das mudanças
No suave inferno dos meus sentimentos
E em meio à  serena tempestade de dores
Sobrevivo ao cansaço e aos movimentos
Me nutro das lições de erráticas andanças
Num universo de luzes e cores
E nas opacas visões busco teimoso
Razões e força pra manter a calma
Do mais surreal dos humores, o gozo
Que me fará brotar um sorriso da alma.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Em Extinção

É noite e vagueando reflito
O pensamento percorre o infinito
Sem perceber fronteiras
Não há tempo,  ou mesmo espaço
Não existem arrependimentos
Culpas, remorsos... besteiras!
Por amor eu vivo, eu faço
E coleciono momentos

Andarilho das noites, seguia
Cantando, sozinho sorrindo
Até que do canto avistei
Sem acreditar no que via...
Tímido olhar,  sorriso lindo
E num instante notei
A noite virava dia !

Me aproximei da "miragem"
Por genuína atração...
Sabendo que era irreal
Passei por ela, passo lento, atento
E prossegui, sem coragem
Pra longe da tentação
Pra solidão, meu "normal"

Mas, passado um tempo, a visão,
Se mostra real e se revela
Por moderna magia, ou feitiçaria
Consegue a minha atenção
Acende minha emoção
E chama pro lado dela

Segundos vão se passando
E cada vez só aumenta
Vontade de estar perto
Entregar, compartilhar,  ser e estar
Desarmado, peito aberto
Conhecendo,  aproximando
Querendo mais,  cada dia

Não é só felicidade
O que temos em comum
Não há em lugar algum
O que somos, na verdade
Tanto carinho, há na gente
Cumplicidade, amizade e então...
Somos de tudo tão diferentes
Estamos em extinção

12/6/17 Dartagnan Fireman

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

MUTATIS MUTANDIS

Respeito-me, por isso, transbordo respeito a quem merece;
Quero conhecer a essência, não o que parece.
Admiro-me ou mudo o que não gosto em mim;
E como me entendo – imperfeito, evoluo; sem fim.
Me adapto a realidade, não à expectativa
Viver é preciso, mas, não tem que ser a deriva.
Sou capaz de amar, a partir de mim.
De melhorar, se me achar ruim...
De começar o que acredito, porém ...
Sou de me afastar, em silêncio e... amém!

Mudando, tal qual o mundo e o tempo
Sem obedecer diretriz ou movimento
Conforme acredito, preciso ou sinto...
Errando, acertando, sigo em solene rebeldia
Sendo mais o que sou e menos o que queria
Até que chegue o momento; talvez a morte
Que nem razão, sentimento ou sorte
Permitam-me mais ser o meu próprio guia.


quarta-feira, 4 de setembro de 2013

SIM, EU ACREDITO EM ANJOS

"Inspirado em sentimentos reais, dedicado a um anjo real."

É verdade, eu acredito em anjos.

Não me refiro à integrantes de falanges celestiais, representados por figuras estereotipadas de crianças com asas e auréolas; mas, anjos humanos.

Do contrário, como explicar que seres humanos tenham um grau de desprendimento e doação que os faça surgir do nada nas nossas vidas, iluminando com sua alegria quase constante e seu sorriso fácil, honesto e autêntico, alguns dos nossos dias mais cinzentos?

Como acreditar que alguém desenvolva tamanha empatia por outro ser humano, que apenas e tão somente vendo pela vez primeira, transmita a sensação de “amizade ancestral”, como se conhecesse desde os tempos imemoriais; e mais, que gosta de você desde sempre?

Há anjos humanos. Por essa razão, algumas pessoas “acontecem” nas nossas vidas e... é como se estivessem lá, sempre – é assim que sentimos e lembramos.

Como se “mais-que-parentes” fossem, revelam um gostar, uma ligação, uma amizade; por que não dizer: um amor! Um amor de origem desconhecida, sem motivos aparentes, sem ligação racional; é puro afeto, respeito e alegria.

Há anjos de luz. Luz se origina não se sabe de onde e se projeta no brilho do olhar, na amplitude do sorriso, no calor calmo do abraço, no gesto mínimo e despretensioso que finda por ser mais eloquente que qualquer discurso elaborado.

Cuja sensibilidade, infinitamente mais destacada cala com um olhar terno – ainda que só por alguns segundos, uma grande dor, um enorme sofrimento, uma angústia cruel.

E é com simplicidade encantadora, que tais anjos despertam algo de bom em todos com quem têm contato. Conquistam afeto e admiração; e semeiam, com sua alegre presença os mais inesperados sorrisos. Semeiam o bem; por que fazem aflorar em cada um que seu caminho tem a felicidade de cruzar, o que de melhor existe em si. Provocam e instigam o questionamento que leva à inevitável conclusão: Eu posso ser melhor.

Eu conheço um anjo-humano.

Um anjo cuja missão foi levar alegria à vida dos que foram presenteados com sua convivência.

Nosso contato foi interrompido. Não questiono as razões.

A saudade será enorme, mas, não direi adeus.

Despeço-me – por hora, dizendo apenas...


Carinhoso beijo e até um dia, DORINHA.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Eu Me Perdoo

Eu me Perdoo, por ter nascido,  e sobrevivido ;
Quando tantos não conseguiram e,  podiam ser,  
Me desculpo,  por não ter sido um filho, um neto melhor; a saber: 
Contrariando a expectativa de poucos dos quais,  sinceramente duvido.

Me escuso,  de não ter sido o irmão esperado, 
O namorado ideal, 
O aprendiz projetado,  tentei,  malogrado 
Nem o " eu" ,  que queria,  fui igual.

Decepções,  a parte,  aproximando- se o fim (desses versos), 
Não me envergonho,  tampouco sinto, 
Decepções quanto a mim.

Tive meus limites,  respeitei... 
Não exigi insanamente, e assim,  (confesso) 
Agora, nitidamente,  eu sei,  que perdoo o que esperava,  mas não pude ser,  de mim.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Equinócio

Meia idade,  meio caminho,
Talvez,  meia vida; quem sabe?
Descobrindo o sentido,  sentindo sozinho
A crueza  justa, da mais evidente verdade.

Do passado, as lembranças, as lições  de quem eu era
No  futuro, os planos, a projeção de quem serei;
O presente intenso, real; é somente,
A libertação dos erros e acertos que me tornaram gente
A preparação para o ente humano que serei.

E as estações da vida se seguem,
Frios invernos, outonos sem brilho
Verões azuis, agitadas primaveras
Solstícios marcantes,  se  erguem como filhos,
Dividindo as fases, demarcando as eras.

Hoje, tendo visto e vivido muito, com a paixão e a inteligência de cada idade ;
Ainda em busca da razão e do sentir, que ao viver, alimenta,
Acalento memórias, elaboro planos mas sobretudo vivo o agora!
Lançando luzes sobre passado e futuro, com a  mesma intensidade
Aprendendo mais, com cada hora,
Vivenciando o equinócio dos cinquenta.

Dartagnan Fireman, 22/07/2012

ABERTO PARA BALANÇO


ABERTO PARA BALANÇO
Dartagnan 02/10/2011:25:38

CINQUENTA ANOS VIVIDOS...
VIVIDOS INTENSAMENTE
SORRISOS AUTÊNTICOS, VERDADEIROS
LÁGRIMAS ESCONDIDAS, OU NÃO
MOMENTOS DUROS, SOFRIDOS
ALEGRIAS CURTIDAS, PROFUNDAMENTE
AMORES SENTIDOS, POR INTEIRO,
ALGUMAS LOUCURAS, POR PAIXÃO.

AMIGOS ÍNTEGROS E FRANCOS
DESAFETOS, ACABEI TENDO
BOBAGENS, QUEM NÃO AS FEZ?
ERREI, ACERTEI, VOLTO A TENTAR
NÃO PARO PRA LAMENTAR...
APRENDO A VIVER, VIVENDO,
UM DIA DE CADA VEZ...
VIDA SEM PÁGINA EM BRANCO.

NA FAMÍLIA UM BOM COMEÇO
PAIS DE QUEM ME ORGULHO TER NASCIDO,
IRMÃOS QUE APRENDI A AMAR,
AFETO QUE VEIO DE BERÇO
TUDO O MAIS, ADQUIRIDO
AMIGOS E AMORES, MOMENTOS PRA RECORDAR
FILHOS QUE SÃO A MELHOR PARTE,
VIVO APRENDENDO A ARTE
E DE APRENDER NÃO ME CANSO,
CORAÇÃO E MENTE, SEMPRE...
ABERTOS PARA BALANÇO

E A CADA VEZ QUE PONDERO
SOBRE A VIDA DESDE O COMEÇO
VEJO: NÃO TENHO TUDO QUE QUERO,
TENHO MAIS DO QUE MEREÇO!!!