Seguir este Blog por e-mail

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

MUTATIS MUTANDIS

Respeito-me, por isso, transbordo respeito a quem merece;
Quero conhecer a essência, não o que parece.
Admiro-me ou mudo o que não gosto em mim;
E como me entendo – imperfeito, evoluo; sem fim.
Me adapto a realidade, não à expectativa
Viver é preciso, mas, não tem que ser a deriva.
Sou capaz de amar, a partir de mim.
De melhorar, se me achar ruim...
De começar o que acredito, porém ...
Sou de me afastar, em silêncio e... amém!

Mudando, tal qual o mundo e o tempo
Sem obedecer diretriz ou movimento
Conforme acredito, preciso ou sinto...
Errando, acertando, sigo em solene rebeldia
Sendo mais o que sou e menos o que queria
Até que chegue o momento; talvez a morte
Que nem razão, sentimento ou sorte
Permitam-me mais ser o meu próprio guia.


Nenhum comentário: